segunda-feira, 2 de maio de 2011

O rei do galinheiro















Ah! Saudade do tempo que o galo cantava.

06:00 horas da manhã, o canto do galo me despertava.
O galo mudou de forma e estrutura.
Hoje é uma pequena tecnologia.
O que desperta-me o sono, é o despertador do celular.
Levaram o galo pra cidade.
Uma pena! Mataram as galinhas.
Está só no meio do quintal.
A fábrica de granja detonou seus parentes
– engorda, põe no gelo e vai a mesa do consumidor.
Pobre rei do galinheiro!
Coitado, ninguém mais ouve, o canto do galo.

Por Luciane Moraes
E-mail: olharacreano@gmail.com

17 comentários:

  1. verdade Lu... o mundo cada vez mais tem cara de plástico. Acordar com um galo, ovo caipira, fruta no pé... são prazeres únicos, não é?
    bjs e boa semana, minha querida amiga.

    ResponderExcluir
  2. Maravilha isso! Que beleza de saudades e com toda razão...

    Adorei tua inspiração! beijos,chica

    ResponderExcluir
  3. Lú, por aqui ainda acordo com o cantar do galo do vizinho... As vezes enche tanto que penso em faze-lo ao vinho, como os franceses, brincadeirinha....rsrsrsrs.

    Minha amiga, tem felicidade que a maior soma de din din não paga...

    Somos felizes!!!

    Beijos e uma linda semana!

    ResponderExcluir
  4. Boa tarde Menina !!

    Morei em uma casa que o vizinho arranjou um galo ... o bicho cantava de madrugada ... acho que foi parar na panela , depois de uma semana!!Ah!Aquilo era terrível ,o bicho era desafinado !ah!

    Uma linda semana ! Mil beijos !!

    ResponderExcluir
  5. Oh he's a beauty!

    Thank you for stopping by my blog!

    ResponderExcluir
  6. Bonita foto y un maravilloso y sensible poema. Besos

    ResponderExcluir
  7. Oi! Obrigada pela visita e pelo selo. Já está no meu blog, com um link para o seu. Beijocas!

    ResponderExcluir
  8. Oi, Lu, quanta verdade existe neste seu texto.
    Sabe os meus pais cresceram no interior, portanto ser despertado pelos donos do galinheiro era uma rotina.
    E eles sempre comentavam sobre este fato, com muita nostalgia para seus filhos.
    E vire mexe minha mãe adquiria um galo, só para ouvi-lo cantar de manhã,pode uma coisa desta, e isto aqui em plena cidade de São Paulo!
    Este texto me fez pensar um outro tema, muito importante sobre as nossas existências nste planeta.
    Com o evento do desenvolvimento da tecnologia e ciencia moderna, estamos cada vez mais distante do contato com a natureza, o que muitas vezes nos torna irresponsaveis e indiferentes com ela.
    Cada vez mais filhos,as nossas gerações, não sabemos o que é sentir o cheiro da terra molhada, de molhar os ´pés nos rios, de caminhar descalço e sentir o chão.
    Só conhecemos o concreto o computador, andar de carro é uma constante.
    Mas gostei muito dos teus textos, pois revelam uma verdade que nos faz pensar sobre muitos outros assuntos tão relevantes quanto a nossa própria existência neste planeta.
    Lu, olha só que previlegio o meu, vou te seguir, e fui exatamente o numero 200 , sou o numero 200 dos seus seguidores.
    Achei muito legal este lance, saiba que apartir de agora , sempre existirá um pouco da tua essencia, no meu blog.
    Costumo dizer que sou um viajante do tempo, e caminho ao lado das pessoas na eterna condição de aprendiz.
    Muito obrigado pelas suas palavras e por ter interagido comigo!
    NAMASTÊ!

    ResponderExcluir
  9. Oi Luciane
    Parabéns pelo blog e pelos poemas. É muito bom conhecer um pouco da cultura do Acre, tão distante do Rio Grande do Sul. A partir de agora vou acompanhar o teu blog mais de perto.
    Um abração!

    ResponderExcluir
  10. Lulu....eu enho um despertador em que o galo ainda canta....rssssss

    Tem um selo pra vc la no Céu.

    Beijo

    ResponderExcluir
  11. Hola LU.

    Querida amiga, a pesar de todo , tendremos que acostumbrarnos que la tegnología nos cambió.

    Yo , como tú, no me resigno y añoro mi vieja casa de pueblito , con patio, jardín y el- quizás hoy desaparecido- gallinero.

    La naturaleza más pura que esta que nos toca vivir hoy.

    Mientras existan personas sensibles como tú , tengo esperanzas.

    Un abrazo

    ResponderExcluir
  12. Hola amiga!

    Santa modernidade!!! Quantas coisas se foram, restaram saudades. Ainda ouço, aqui, ali, entre barulhos de motores, um galo cantando ao longe.

    Bjs. Parabéns pelo blog. Gostei muito.

    ResponderExcluir
  13. Bela foto desse galo, adorei.

    Gostei também imenso desse texto!

    Bj

    Rui Pires - OLHAR D'OURO - Portugal

    ResponderExcluir

Críticas, sugestões,...Tudo é bem vindo! Fique a vontade!

Amigo(a)! Muito obrigada! Pelo seu comentário!
TUDO DE BOM! Pra você! FELICIDADES!!!